sábado, dezembro 07, 2019

Reza a lenda que, certa noite, Tom Waits rodava sobre uma interminável interestadual dos EUA, quando uma melodia esvoaçante se lhe alapou nas meninges. Sem gravador-gaiola onde pudesse guardá-la, o poeta do asfalto logo percebeu que ia perder a dita cuja; a melodia iria continuar a voar até que alguém em melhores circunstâncias a conseguisse fixar. Era a mais bela melodia do mundo, de sempre, e ele não ia conseguir lembrar-se.
Tom parou o carro, deixou-se cair de joelhos no meio da estrada e uivou à lua: “Porquê agora? Porquê?”. Acredito piamente que, até hoje, essa melodia não se deixou agarrar. Anda aos rebolões por aí, à espera de encontrar de novo aquele homem da voz cavernosa, para que ele a faça música. Menos que isso, é melodia desperdiçada.
Tom Waits faz hoje 70 anos.

Sem comentários: