quarta-feira, julho 31, 2019

«O marcador de páginas - que o tombo soltou da opressão das palavras - é uma fotografia, "Os Amantes". Há quem lhe chame “O beijo com 2800 anos”, dois esqueletos encontrados no Irão durante as escavações arqueológicas de Teppe Hasanlu; o amor pode ser assim, antigo, dando a ilusão de ser eterno. Dois esqueletos que se beijam há 2800 anos, antes de serem fotografia já eram só um momento, peça de museu.»

in A IMORTAL DA GRAÇA

“Recupero, em jeito de entrada - paradoxal -, a provocação de Howard Zinn: o problema não é a a desobediência, o problema é a obediência. Na qual ecoa a frase de Wilhelm Reich: «A verdadeira questão não é sabermos o motivo pelo qual as pessoas se revoltam, mas porque não se revoltam.» As razões para que já não aceitemos o actual estado do mundo, o seu rumo catastrófico, são quase demasiado numerosas. Enumerá-las todas seria uma litania de desastres.”

Desobedecer, de Frédéric Gros, traduzido por Miguel Martins.

Obrigado, Miguel.

A belíssima capa de David Mack para Vampirella/Red Sonja # 2.

7 x Mestre Milo Manara

segunda-feira, julho 29, 2019

Dave Stevens faria hoje 64 anos.

domingo, julho 28, 2019

Dick Sprang faria hoje 104 anos.

Utilizador das golas do Cabrita.

sábado, julho 27, 2019

HOJE
Patrulha da Noite
SEASON FINALE

sexta-feira, julho 26, 2019

As séries que estão nomeadas, junto com o nosso Air Lino. Luxo. Ganhe quem ganhar, o prémio fica bem entregue. Supímpico estar nomeado ao lado de malta tão talentosa. Destaque para o meu parceiro Mário Botequilha que, a par do Lino, junto comigo, tem também nomeado o seu Soldado Milhões.

quinta-feira, julho 25, 2019

Boas novas: EXCURSÕES AIR LINO, a série que o Mário Botequilha e eu escrevemos e que foi exibida o ano passado na RTP 1 está nomeada para Melhor Série na Gala Troféus de Televisão Impala 2019. Obrigado pela nomeação.
Segue daqui um abraço a toda a maravilhosa equipa e elenco, com redobrada força para o Rui Unas que, por ter encarnado o deliciosamente insuportável Lino, está também nomeado para Melhor Actor.
All aboard? Fato de treino!

quarta-feira, julho 24, 2019

Tomem lá tema novo.

terça-feira, julho 23, 2019

LÂMINA: eu e os meus companheiros Vasco Duarte e Katari a improvisar em Fevereiro passado. À procura.

segunda-feira, julho 22, 2019

À conversa via Skype com a Patrícia Pereira, numa edição extra de Hollywood Express a propósito da SDCC.

«Deu luta. As palavras da médica,
- Agora só depende dele.
e a Celeste, pêlo na venta, nunca mandou recados via este ou aquele, era tudo frente-a-frente:
- Faz-me espécie quando um médico diz uma coisa dessas. Como se a salvação da doença ou acidente dependesse da vontade do doente ou sinistrado. Como se não estivesse para além de orações, vontades e capacidades médicas. Para além de Deus. Entregue a ninguém. À sorte, que é outra maneira de dizer a ninguém.
- É preciso celebrar as vitórias do dia-a-dia, fique contente porque hoje vai poder desfrutar da companhia dele.
- Olhe que as coisas não funcionam assim, doutora. Então e se hoje não me apetecer a companhia dele, se só a quiser amanhã e amanhã não puder porque ele vai ter uma recaída e vai ter de voltar para o hospital? Porque é que eu hei-de celebrar a possibilidade de estar com ele quando me apetece estar sozinha? Como é que vai ser quando eu quiser estar com ele e não puder? O que eu gostava era de poder ignorá-lo sem culpas e desfrutá-lo sem calendário.
A felicidade é, também, uma espécie de conveniência dos afectos e das disponibilidades. E nós tão dependentes das pessoas que tomamos como certas.»

in A IMORTAL DA GRAÇA

domingo, julho 21, 2019

Dêem um pulo à página de FB de Sidekicks; novidades SDCC.

sábado, julho 20, 2019

O Grande Elias vai partir tudo.
Hoje à noite na RTP 1
PATRULHA DA NOITE


sexta-feira, julho 19, 2019

Vénias ao Grande Mestre!

Diz o David Soares: "Na edição de hoje do Jornal i, numa chamada de capa, a NASA diz que não tem ideia de (se eu entendi bem a frase) quem fabricou a bandeira que está fincada em solo lunar. Porém, seria fácil a NASA recuperar essa má memória se olhasse para o Diário de Notícias de 23 de Julho de 1969 e lesse a entrevista dada pela costureira portuguesa Maria Isilda Ribeiro, que, residente nos Estados Unidos desde 1966, trabalhava na fábrica de bandeiras que produziu o mais universal estandarte do século XX. Na altura com vinte e três anos, Maria Isilda Ribeiro não imaginava, provavelmente, que as marcas impressas pelas suas mãos ficariam indeléveis no espaço: existem impressões digitais portuguesas na Lua — romântica coda para a senda renascentista dos Descobrimentos de que fomos pioneiros, se se quiser ver assim."

quinta-feira, julho 18, 2019

Que série absolutamente notável, a todos os níveis. A excelente 1.ª temporada de DARK encontra nesta 2.ª uma digníssima e arrebatadora sequela, com um equilíbrio delicado entre o profundamente cerebral e o inesperadamente emocional. Reparem: também gosto de séries que replicam o sabor de, digamos, uma tarte de maçã de antanho, mesmo que seja uma réplica que se aquece no microondas; está muito bem feita, titila o palato, traz até uns laivos bem catitas de novidade e atrevimento, aqueles possíveis à fast food - come-se à colher e eis gratificação instantânea. Mas depois há regalos como este DARK, um peixe acabado de pescar e grelhado com mestria, de forma meticulosa, dá trabalho a comer, temos de ir tirando as espinhas, usam-se vários talheres e são horas a desfrutar do repasto, a matutar naqueles sabores intrincados, a descobrir novas subtilezas, a encontrar de forma constante novos motivos para maravilhamento. Venha rápido a 3.ª temporada.

quarta-feira, julho 17, 2019

Tirei uma foto a um alfarrabista em Lisboa, com aquela aplicação que acrescenta uns anos, e apareceu-me um hotel.

segunda-feira, julho 15, 2019

Deveras supimpa, ter-me juntado ao Roberto Pereira e ao Frederico Pombares na escrita deste roast. Pusemos a carne toda no assador. Agora, tirem as vossas conclusões.

Vai, peeps, dêem-lhe com a alma, dêem-lhes a alma.

A Joana Amaral Cardoso escreveu um belíssimo artigo sobre O Menino da Lágrima, onde também dá conta da importância que teve no meu primeiro romance:
«Em 2013, Filipe Homem Fonseca pôs o chorão favorito do país na capa do seu livro Se Não Podes Juntar-te a Eles, Vence-os (2013), um retrato de uma sociedade distópica (...): “Lembrei-me de dar conta no livro de que havia um primeiro-ministro que nos tinha chamado piegas”, explica o autor ao P2. A história desemboca num manifesto intitulado Os Meninos da Lágrima (...) Isso origina uma milícia que usa “máscaras à semelhança dos Anonymous, com a cara do Menino da Lágrima. É um movimento revolucionário intitulado Os Meninos da Lágrima”.»
Se quiserem saber praticamente tudo o que há para saber sobre esses quadros, é seguirem o link.

domingo, julho 14, 2019

Também quis usar aquela app que nos envelhece; acho que vou ficar um pão.

sábado, julho 13, 2019

«Gente e lugares que deixam de ser aquilo que nos lembrávamos para passarem a ser aquilo que tentaremos esquecer; passarão um dia a escombro, essa condição que as mentes menos alerta confundem com construção pela metade.
A Menina Celeste fala sozinha, ouve-a quem quer:
- Esta ideia de que uma vida se preenche com obra feita e lugares visitados, como se o simples acto de existir não fosse suficiente, como se olhar mais do que três minutos para alguma coisa fosse um desperdício. Andam a dar cabo do ócio no quotidiano, para depois poderem vendê-lo como bem de luxo.
Uma cidade em obras é como uma cidade em chamas. Ambas em transformação. Num sentido, em direcção à cinza. Noutro, em direcção a quê? O futuro?»

in A IMORTAL DA GRAÇA

quinta-feira, julho 11, 2019

quarta-feira, julho 10, 2019

Joe Shuster, co-criador do Super-Homem, Lois Lane e Lex Luthor, entre outros, faria hoje 105 anos.

Este sábado, às 17h na Fnac Chiado, a última sessão de Sidekicks antes de irmos a banhos com o cuequedo por cima das calças, como manda a tradição super-heroística. Uma hora e picos de conversa sobre as obras de BD que mais nos marcaram, desta vez sem nenhum convidado porque estamos com muita vontade de botar faladura. Vinde que vai ser deveras catita. Tragam agasalhos que anda um frio que não se pode.

Tempo de “consagrados”: a “historiadora consagrada” Fatinha Bonifacho a verter falsidades e ignomínias, e “jornalistas consagrados” a defender o direito da senhora verter as barbaridades, com o argumento falacioso de que se trata de um exercício de liberdade de expressão. Falar em liberdade, seja do que for, relativamente a racismo e à xenofobia, parece-me um contra-senso, mas deve ser incapacidade minha por não ser “consagrado”.
Diacho, tanto “consagrado” a sair da toca.

terça-feira, julho 09, 2019

“The more you believe, the more you believe.”















American Gods S2E8
Um tratado.

segunda-feira, julho 08, 2019

sábado, julho 06, 2019

Como canta Caetano, “melhor que o silêncio, só João”.

Este foi o último álbum de João Gilberto que comprei e também, tanto quanto sei, o último de estúdio que gravou. Produzido por Caetano Veloso, em 2000, “João Voz e Violão” tem como capa uma fotografia de Camila Pitanga, em que a actriz pede silêncio com um gesto, para que se possa ouvir a inconfundível voz e o insuperável violão de que fala o título. No dia em que João Gilberto partiu, faça-se silêncio para escutar a imensa obra, em jeito de lamento mas também de celebração pelo tanto que nos deixou. Lamento e celebração: no fundo, bossa nova.

Morreu João Gilberto. O quanto a sua obra me acompanhou em determinados períodos da minha vida é imensurável. Obrigado não chega.

Passei os olhos pelo amontoado de fezes que é o texto dessa tal Fátima Bonifácio e percebi porque é que os tigres às vezes comem as próprias crias.

John Byrne celebra hoje o seu 69.º aniversário.

quinta-feira, julho 04, 2019

200 mil já viram. Sergei contente.

Stash of the day (yesterday).

Philippe Caza

As Aventuras do Pobre Pensionista

67 anos depois, a revista MAD chega ao fim.

EDIT: o spin - ah e tal que não acabou, vai é passar a ser revista de reprints de material 'vintage' (ah!) que já saiu anteriormente, com capas novas.
Ou seja: acabou.
Leiam aqui.

Tive oportunidade de vê-lo no ano passado, quando ainda faltavam alguns pormenores de pós-produção, e, quando acabou, aplaudi de pé. Está aqui um tributo fortíssimo à vida e obra de um dos artistas mais geniais que o nosso país já viu nascer, e uma celebração vibrante do talento de todos os envolvidos. É também um testemunho da visão e da persistência do realizador João Maia - eis que o seu VARIAÇÕES se concretizou, e não podia ter sido de melhor maneira.
Está quase a estrear.

terça-feira, julho 02, 2019

segunda-feira, julho 01, 2019

Hoje

Poetas do Povo (#303) / Tea For One, 1 Julho, 22h. Com: Ana Isabel Gonçalves, Miguel Martins (curadoria) e música de João Pedro Viegas. Host: Nuno Miguel Guedes e Alexandre Cortez.
A Tea for One foi uma micro-editora fundada por Miguel Martins em 2008 e extinta em 2016, após 36 títulos. Alexandra Lucas Coelho, André Tecedeiro, Filipe Homem Fonseca, Inês Dias, Marta Chaves, Rui Cardoso Martins — autores que publicaram os seus primeiros poemas em livro na Tea for One.
Álvaro Cunha, Jorge Fallorca, Patrícia Baltazar, Rui Caeiro, Vítor Silva Tavares — alguns dos muitos outros escritores que aí publicaram, para citar, somente, os que já não se encontram entre nós.
Na próxima segunda, o editor e Ana Isabel Gonçalves (co-responsável pelo programa Palavras de Bolso, da Antena 2), acompanhados pelo ditirâmbico sax soprano e pelo telúrgico clarinete baixo de João Pedro Viegas, ler-nos-ão alguns dos poemas que fizeram a história desse verdadeiro negócio da China que foi a T41, impiedosa émula da Igreja do Maná e do Grupo Espírito Santo.
Quem não aparecer atiçará a ira dos mais reputados académicos internacionais, como sejam os Professores Sidia, Mamadu, Karamba, Kajali, Heraba, Jelani, Tatoni, Cadri e Fofana, entre muitos outros especialistas em matérias tão complexas como o olho gordo e a amarração.