terça-feira, agosto 14, 2018

Pelos vistos, é possível não se ser “suficientemente lésbica”.
Para cada quilómetro que falta percorrer em questões de identidade de género, há uns bons quilómetros a palmilhar no que respeita a não ser profundamente estúpido.

Sem comentários: