quinta-feira, setembro 14, 2017

Têm uma piada do cacete, todos aqueles que acham a história dos plágios TonyCarreirescos um assunto de somenos importância. Como se fosse perfeitamente aceitável que se pegue em obras alheias e se capitalize com elas sem dizer ai nem ui aos autores. "Ai o Ministério Público não tem nada melhor para fazer?" Não, peeps, isto não é coisa pouca, e este avanço do MP só peca por tardio. A intangibilidade de uma música não significa que ela não tem um dono, que é quem a criou. É elementar. Ou deveria ser. A ideia de que criar uma obra artística, seja música ou outra coisa qualquer, não é trabalho, está tão mais enraizada quanto mais pequenina for a mentalidade. Esta questão dos plágios está já a servir, se não para mais nada, para tirar da toca todos aqueles que, por ignorância ou qualquer outra motivação (ainda menos) nobre, menosprezam a criação artística, o trabalho intelectual, e erguem com orgulho bacoco o estandarte do "trabalho é plantar batatas".

Sem comentários: