segunda-feira, setembro 25, 2017

A Joana Amaral Dias defendeu zonas e veículos só para mulheres nos transportes públicos. Depois, veio a Fernanda Câncio dizer que isso não faz sentido e que quer é que as miúdas andem na rua sem que lhes peçam broches. A Rita Ferro Rodrigues reforçou, declarando que quer é que as miúdas possam andar de autocarro sem receio de que um gajo qualquer se encoste a elas para se vir entre uma estação e outra. E depois, veio a Mónica Calle contestar isto tudo, dizendo que quer que as filhas andem em transportes públicos e que os homens se encostem a elas.
Poderá haver quem veja aqui um debate público necessário acerca de uma questão importante. Eu só consigo ver um dos piores episódios da última temporada de "Sex and the City", em que todas as personagens vêem o mundo como pejado de Charlottes, têm as convicções de uma Miranda, usam o vernáculo de uma Samantha, e pensam que são a Carrie.

Sem comentários: