sábado, março 18, 2017

Paredes por pintar e a fuga da normalidade, traições e traduções: COMO ELA MORRE, últimos dias em Lisboa, hoje e amanhã no Teatro Nacional D. Maria II. Texto do Tiago Rodrigues em co-criação com Frank Vercruyssen, Isabel Abreu, Jolente de Keersmaeker e Pedro Gil. Há livros que influenciam vidas e quem diz vidas, diz teatro. Ide assistir hoje, já.

Sem comentários: