terça-feira, março 21, 2017

O comportamento e as declarações de algumas figuras ligadas aos centros de decisão andam a facilitar muito qualquer trabalho de comentário político e social que se possa fazer. Por exemplo, quando se ouve o Jeroen Dijsselbloem obrar que os países do Sul não podem gastar o dinheiro todo em mulheres e copos, não há muito mais que se possa dizer para além de "Que idiota". É por isso que, quando surge aquela conversa de termos de ouvir pontos de vista diferentes do nosso, há que relativizar. Há pontos de vista que não vale a pena discutir, porque não são pontos de vista, são palas para os olhos que gente como o Dijsselbloem tem e que, mais grave ainda, nos quer impingir. Argumentar com Dijsselbloem e afins requer um nível de ignorância que contamina, à partida, qualquer questão.

Sem comentários: