quarta-feira, agosto 03, 2016

A kabonguização das redes sociais

El Kabong, alter ego do Quick Draw McGraw, aka Pepe Legal, usa a viola de uma maneira pouco ortodoxa. Dó-Ré-Mi e todas as notas seguintes e intermédias passam a resumir-se a um kabong! sonante, com evidentes mazelas para o receptor da melodia que, normalmente, a recebe em cheio no toutiço. O que aqui temos é um caso evidente de algo que passa a ser usado de maneira diferente daquela para que foi originalmente concebido. O mesmo se passa com as redes sociais. Sendo que as frequento há mais de dez anos, tenho tido oportunidade de verificar o quanto têm mudado, em virtude não só das novas políticas de utilização por parte do fornecedores das diferentes plataformas, mas, acima de tudo, pelo uso que lhes vai sendo dado. Acontece que não tenho a certeza de querer usá-las em modo-kabong!; e até se podia dizer "mas cada um usa como quer: uns dedilham acordes, outros kabongam e assim é que é bonito", e sim senhores, muito bem - o problema é que usamos todos a mesma viola, e se os Pepes Legais da vida (que, é preciso dizê-lo, não são tão Legais quanto o Pepe), insistem em kabongar, vão acabar por dar cabo da viola e a malta deixa de poder sacar-lhe um Dó que seja. E isso é... qual é a palavra? Ah, sim: é uma merda.

Sem comentários: