sexta-feira, julho 22, 2016

A ideia é que quando se diz 'atraso' a coisa não seja literal, mas torna-se difícil quando, por exemplo, 2016 traz a) reacções a comentários de José Cid em 2010, e b) os protestos de ontem contra o pagamento de portagens na Ponte 25 de Abril durante o mês de Agosto (isenção suspensa desde 2011). Em relação às portagens, pois sim senhores, mais vale tarde que nunca, é o adágio dos que vão adiando e dos distraídos; mas a cada óbito com anos que é badalado como do dia, a cada história com barbas, resto de colecção que volta às montras sem preço de saldo ou explicação, quantas manigâncias reais e de agora nos passam debaixo do nariz sem lhe tomarmos o cheiro? Quantos lamentos frescos, viçosas preocupações, ou raivas no ponto - já para não falar nos projectos e ideias e planos - vão ficando na gaveta?, até ao dia em que nem é uma questão de já virem tarde: é que já vêm tarde demais.

Sem comentários: