sexta-feira, junho 03, 2016

E os campeões que, ao criticar Jorge Jesus pelas bacoradas que larga ao falar, ainda fazem pior figura? A alfabetização tem muito que se lhe diga. E num país com uma taxa tão elevada de analfabetização, devemos ficar agradecidos pelo facto de não saber utilizar vírgulas ser insuficiente para considerar alguém analfabeto. Escreve-se de forma paupérrima, com erros gramaticais e ortográficos arrepiantes, às vezes até em jornais. Mas os recordes de disparate batem-se nas redes sociais. Há gente a escrever "trata-se" quando queria escrever "tratasse", "come-se" quando queria escrever "comesse". Há quem escreva "foda-se" sem travessão. Há quem continue a dizer e a escrever "há um ano atrás". Peeps, não quero estar aqui a dar uma de Edite Estrela, ou de Diogo Infante no "Cuidado com a Língua", mas se foi "há um ano" não é preciso dizer que foi "há um ano atrás". Não se repitam. Isso é o mesmo que dizer "subir para cima" ou "descer para baixo" ou “Donald Trump grunho”. Este texto, de terça-feira passada, e que veio a propósito de outro acontecimento recente, é exactamente sobre essas aves infelizmente não tão raras assim - antes pelo contrário. Ouçam aqui.

Sem comentários: