terça-feira, março 08, 2016

Adeus, Cavaco. Ides fazer tanta falta quanto um banho de caganitas de castor recheadas de caspa, embebidas em escabeche de peixe com duas semanas de secura ao sol, polvilhadas de unhas encarquilhadas de ovelha perneta com raspas de sebo e cotão rançoso daquele que se encontra por entre as frinchas de uma cabana feita de tíbias de porco preto podres, abandonada num campo recentemente adubado com poias fritas de cagarra sifilítica com cocktail de ramelas peganhentas e chulé com cera dos ouvidos de uma vaca com um abcesso na teta traseira da direita.

Sem comentários: