quinta-feira, dezembro 10, 2015

diz o corcunda, enquanto sorve uma sopa de legumes aguada

É preciso sair de Lisboa para que o pão saiba a pão, para que meia dose chegue para duas pessoas, para que a carne tenha a consistência das carnes, para que a língua e o palato gritem por entre a voz e os dentes e os lábios, e nada volte a ser como era. Vivo nesta inevitabilidade insossa de não te provar.

https://www.facebook.com/events/1118369428191515/

Um dos textos incluídos no meu "e enquanto espero que me arranjem o esquentador penso em como será a vida depois do sol explodir".
A apresentação, nas mãos do meu estimado amigo Nuno Costa Santos, é no próximo dia 12, pelas 18h30, no Povo Lisboa. Leituras dos magnânimos e magníficos Mc Santiago, Nuno Miguel Guedes e José Anjos. Vinde!

Sem comentários: