quarta-feira, abril 01, 2015

Sonhei que queria ir ver a Taylor Swift a Las Vegas. Fiz um crowdfunding e lá consegui sacar um bilhete, sei que fui de comboio.
Quando cheguei, o concerto tinha sido cancelado porque a Taylor Swift queria ver o episódio perdido dos Marretas que ia ser exibido pela primeira vez. Sentei-me ao lado dela com um saco de tabaibos, ofereci-lhe, ela não aceitou, deitei o saco fora porque no sonho eu não gostava de tabaibos.
A emissão foi interrompida por um directo sobre as eleições regionais da Madeira, a Taylor Swift levantou-se, saiu da sala e regressou pouco depois com uma t-shirt de um unicórnio com a cara do Alberto João Jardim. Perguntei-lhe onde tinha comprado aquela t-shirt e ela cantou dois versos d'"A Mula da Cooperativa" em inglês, acompanhada por um coro de soldados de plástico verde, muito pequenos mas com vozes de barítono.
No final, a Taylor Swift despachou dois ou três soldados com um mata-moscas e deu em comer tabaibos de um crânio de macaco, igualzinho àqueles do "Indiana Jones e o Templo Perdido". Mal começou o genérico do "Gente Fina É Outra Coisa", tirei o som da televisão. Estávamos a ver a RTP Memória e nem sinais do episódio perdido dos Marretas, cancelara-se um espectáculo para nada.
A Taylor Swift embarcou no jacto particular dela, acenou-me um até logo, a porta fechou-se, não fiquei para vê-la levantar voo. Acordei com a notícia de que o PSD perdera a maioria absoluta na Madeira, fui a tempo de ligar para um 760 dos programas da tarde, não tive sorte nenhuma.
Evitei ouvir o "Shake It Off" durante o dia, comi dois tabaibos.

Sem comentários: