segunda-feira, janeiro 05, 2015

Mensagem de Ano Novo

Para lá do horizonte é que está o fim do arco-íris onde o céu encontra o limite que nunca teve.

O futuro é a medida da vontade que encontras dentro de ti no passado que faz de ti o que és hoje e serás amanhã num futuro que se torna passado a cada instante deste presente que já é passado quando olhas para ele com olhos de amanhã.

Para que os nossos sonhos levantem voo só é preciso acreditar. Eu acredito. Tu acreditas? Tens de acreditar. Mas não basta acreditar. Tens de acreditar muito. Até te doer a cabeça e já nem conseguires sequer preparar um segundo gin.

Consegues acreditar muito? Queres acreditar muito comigo? O caminho pode ser tortuoso, mas isso só faz com que o objectivo final seja fruto de um caminho que, sendo tortuoso, tem um objectivo que, apesar de final, não seria o mesmo caso o caminho fosse outro que não este que é tortuoso. Mesmo tendo um objectivo diferente que poderia ser igual se acreditasses que o caminho era outro que não o primeiro. E afinal era o mesmo, ainda que diferente no fruto que é a tua vontade de seres tu próprio em ti mesmo nesse lugar que é o teu interior.

Estás verdadeiramente preparado para ter aquilo que pensas que estás preparado para ter mas que talvez só consigas vir a ter se acreditares que estás preparado?

Estás preparado para acreditar em ti próprio, na medida em que só se acreditares em ti próprio é que vais conseguir acreditar em tudo o que faz de ti uma pessoa que acredita ser um indivíduo? Um indivíduo individual em si próprio enquanto individualidade?

Acredita. Muito. Sempre. Mesmo quando os outros não acreditam que tu és capaz sequer de acreditar, quanto mais de fazer aquilo que são, afinal, os sonhos que sabes ser capaz de acreditar que tens com a força própria daqueles que sonham alto e que acreditam que podem sonhar ainda mais alto no que respeita a acreditar muito e sempre.

E nessas alturas, agradece à tua vontade, porque quiseste. Quiseste o suficiente? Não, quiseste muito. Fizeste muita força a querer, um esforço enorme, nesse dia nem saíste à noite. Noite inteira sem dormir e uma instagramada do nascer do sol visto no monitor da tua última maçã.

Porque tudo depende de ti, és o teu próprio David Copperfield, se quiseres muito vais ver que consegues fazes desaparecer dificuldades com o mesmo à-vontade com que conjuras refeições vegans e sofisticados gins polvilhados de ervas exóticas.

Eu quero muito. Tu queres muito? Tens de querer muito. Se quiseres muito, somos muitos a querer muito, fazendo por cada um de nós o muito que muitos não fariam por nós sem que nós próprios o fizéssemos por cada um dos muitos que são parte de cada um de nós.

Os limites do céu são aqueles que impões a ti próprio na medida em que o horizonte de hoje é o arco-íris de amanhã.

E o amanhã é hoje. Por isso, tira daqui as tuas conclusões.

Feliz Vida Nova.

P.S.: Há malta que vive disto.

Sem comentários: