quinta-feira, setembro 04, 2014

Deixo-vos aqui mais um excerto de algo que ando a escrever e que não sei se algum dia verá a luz do dia. Quem sabe.

"Eu tenho medo de tudo. Tenho medo de ganhar certezas sobre questões que nem sequer deviam ser colocadas. Como a inevitabilidade de haver gente que morre a quilómetros de distância e aqui ao nosso lado. Habituámo-nos a achar que a morte é uma coisa normal, só porque é inevitável. Tenho medo que outras coisas inevitáveis se tornem normais e que por isso nada seja feito para evitá-las. A cobardia, a ganância, a violência, o egoísmo, a traição, a ignorância, tenho medo de tudo o que é inevitável e conduz à inércia."

Sem comentários: