terça-feira, setembro 02, 2014

"Agarrar o absurdo."























Quando Rui Andrade, Parodiante de Lisboa, disse a frase "É preciso agarrar o absurdo", de certeza que não se estava referir a SHARKNADO (2013), até porque infelizmente faleceu em Janeiro de 2006. Mas a frase aplica-se a esta saga, em especial ao segundo filme, SHARKNADO 2: THE SECOND ONE (2014), que entra assim no panteão restrito de sequelas que suplantam o original. O absurdo é mais do que agarrado na continuação das aventuras de Fin (Ian Ziering), levado a extremos daqueles de aplaudir de pé. Há demasiados momentos épicos e hilariantes para destacar apenas um. Trata-se de um filme imperdível para apreciadores do género.

Sem comentários: