quarta-feira, fevereiro 28, 2007

Há no mundo dois tipos de indivíduos: os que têm as armas carregadas e os que cavam sepulturas.

Depois deste, eis outro momento em que os génios de Sergio Leone e Ennio Morricone se juntaram para fazer mais uma cena clássica do cinema: o duelo a três de O Bom, o Mau e o Vilão, lembrado e bem pelo João Mealha. Lee Van Cleef era grande. Clint Eastwood já em 1966 era enorme. Clint Eastwood sempre foi enorme.

9 comentários:

Anónimo disse...

_ Naaa!!!... Esta cena do duelo não me convence! O personagem, Blondie, de Clint Eastwood peca por "excesso de confiança", quase que antevendo o desfecho da cena. Um duelo de "banda desenhada".

( neste percebe-se melhor o contexto da cena - http://www.youtube.com/watch?v=sXldafIl5DQ )

_ Já no "Once Upon a Time in the West", Charles Bronson (Harmonica), talvez pela sua personagem em si transportar a carga dramática do filme, é mais convincente. Existe tensão com ausência de medo. É para mim uma sequência de duelo genialmente bem conseguida.

Lucky Luke

JoaoMealha disse...

A cena do "Bom, Mau e o Vilão" a que me referia era esta:
http://www.youtube.com/watch?v=GdNh9f2Wwm0
É ABSOLUTAMENTE ORGÁSMICA de tão Desesperante que é.Um daqueles momentos mágicos de cinema que me fazem verter uma lágrima de contentamento por estar vivo=')

OD disse...

Mas tu vais na conversa desse João Mealha? Oh pá tu põe-te a pau que ele não é de confiança :P

Egas disse...

Clint Eastwood sempre será enorme... permite-me uma sugestão: http://www.youtube.com/watch?v=YykfDFEk3y8

Convenhamos porém que é Eli Wallach quem brilha mais no "O Bom, o Mau e o Vilão". É ele o contraponto em todo o filme. É o seu ar de bobo que dá ao filme uma outra dimensão, pois caso contrário acabaria sempre por ser um duelo entre o "bem" e o "mal".

Filipe disse...

Vou pegar na sugestão aqui do Egas ("Well do you, punk?") para responder ao Lucky Luke: acho que se há alguém que nunca poderá pecar por excesso de confiança é Clint Eastwood, esta imagem de durão é, para mim, indissociável de Clint. Claro que também prefiro mil vezes o duelo de "Era Uma Vez no Oeste" - aliás, podem ver como me desfiz em elogios a essa sequência e filme, para mim muito mais bem conseguido e marcante que "O Bom, o Mau e o Vilão". Mesmo assim, continuo a gostar bastante deste duelo a três (e sim, Mealha, eu percebi que te referias a essa sequência, mas fui buscar o duelo porque estou, desde que postei a sequência de "O Dragão Ataca", numa de duelos); gosto do tom de quem não se leva demasiado a sério, quase de BD - as campas, a maneira como Blondie empurra a personagem de Lee Van Cleef (Sentenza, não é?) à força de balas para dentro da campa aberta, com o requinte de fazer o mesmo ao chapéu e à arma deste. Mas acho que estamos todos de acordo quando digo que, quer da parte dos actores em cena, quer da realizção de Sergio Leone, quer da música de Morricone, a sequência de "Era Uma Vez no Oeste" é muito mais grandiosa. Idem para o filme.

Egas disse...

Sem dúvida uma cena mais grandiosa Filipe... Não obstante o Clint estará sempre num outro nível bem mais acima que o Charles Bronson.

Sei que aos seguintes duelos falta a chancela de Sergio Leone, mas mesmo assim devem ser dignos de figurar na tua lista de duelos.
http://www.youtube.com/watch?v=rqq60RLU55o
http://www.youtube.com/watch?v=tyjbrXfMLkM

E é claro que não podia faltar alguma "porrada da boa" com Terence Hill e Bud Spencer:
http://www.youtube.com/watch?v=VFOQbrMe8sw

JoaoMealha disse...

Sequência mais grandiosa sim.
Filme não.
O "Bom, o Mau e o Vilão" há-de sempre continuar a ser para mim o melhor western alguma vez feito.Se calhar porque vi o filme pela primeira vez aos 9 anos.Enquanto que o "Aconteceu no Oeste" só tive oportunidade de o ver há dois anos.

Filipe disse...

Acredita que não só percebo o teu gosto por este filme no geral como pela dita sequência em particular. Também acho genialmente arrepiante. No entanto, a minha preferência vai mesmo para o "Era Uma Vez no Oeste", que vi pela primeira vez quando tinha mais ou menos essa idade (já "O Bom, o Mau e o Vilão" vi já na fase-acne), e estas coisas pesam sempre muito na nossa apreciação, bem o sabes. E acho também que a outra sequência é dramaticamente mais rica: há ali uma resolução, um fechar de um círculo, uma riqueza de pormenores que, mesmo depois de ter assistido à cena umas boas dezenas de vezes, me continuam a impressionar.
Quanto a Clint Eastwood, acho que estamos todos de acordo, está sempre uns muitos e muitos furos acima de Charles Bronson, por muito que eu também goste deste último.
O Egas lembrou algo também grandioso, noutro registo. Só por causa disto sou bem capaz de rever um dos filmes do Trinitá esta noite.

karma disse...

entao e ninguem fala disto?????

http://www.youtube.com/watch?v=FiHYXCRwets