quinta-feira, agosto 03, 2006

Novidades do serviço de ciberurgências (e algumas considerações acerca da eterna batalha Mac vs. PC)

Parece que 20% da informação no meu iMac foi recuperada, e o processo, que se adivinha longo, continua. Provavelmente só depois do fim-de-semana é que a recuperação vai estar completa, e só então vou ter certezas e sossegar. À medida que o tempo passa, vou-me lembrando de mais e mais coisas que tenho lá guardadas e que não quero, não posso, perder. O segredo será talvez não pensar nisso, e esperar de forma zen até segunda-feira. O problema é que sou muito pouco zen e a vontade de desatar às cabeçadas na parede aumenta.

Entretanto, queria deixar-vos com um pormenor do fotoon SALVO ERRO que fiz para a edição d'O INIMIGO PÚBLICO de amanhã, o tal que tive de fazer duas vezes porque o iMac deu em pifar com ele lá dentro, mas o Blogger não está a fazer o upload de imagens. Talvez mais logo.

Em relação às polémicas Mac vs. PC - sou utilizador da Mac há mais de uma década, e deixem-me dizer-vos que não é por causa deste incidente que vou deixar de sê-lo. Já tive alguns PCs (aliás, este portátil de onde escrevo é um PC), e prefiro mil vezes o ambiente de trabalho que o MacOS proporciona. Mais: o número de vezes que me aconteceu um PC crashar durante um trabalho, com perda irreversível do que estava a fazer, é dez vezes ou mais superior ao número de vezes que isso me aconteceu com Macs. De facto, a única vez em que me lembro de isso ter acontecido com um Mac foi para aí em 97 ou 98, quando estava a escrever a segunda série do MAJOR ALVEGA e, de repente, o Mac onde estava a trabalhar desligou-se sem ai nem ui, fazendo-me perder o episódio, que já ia a mais de metade. De resto, não tenho queixas. O final de todos os PCs que tive foi sempre o mesmo: ataque de vírus, que inutilizaram o disco e me fizeram perder tudo o que lá tinha dentro (nada que tivesse grande importância).

Enquanto escrevo isto, chego à conclusão que ainda não fiz uma pergunta aos cibercirurgiões que estão neste momento de volta do meu iMac: o que é que provocou o pifamento do bicho?

Talvez porque antes de saber causas queira ter é a certeza que consigo safar tudo.

4 comentários:

bv disse...

do que é que estavas à espera?! recuperar tanta coisa boa, claro que demora!!!

El Gordo disse...

Sem te querer assustar, sempre me disseram que um MAC é como um Mercedes: se pára é porque o caso é grave. Uso MAC há quase cinco anos mas antes trabalhei com vários PCs. Concordo contigo no sentido dos PCs serem muito menos seguros e muito mais susceptíveis a vírus e a crashes. Daí ter decidido adoptar um MAC (iBook). E só por uma vez tive problemas quandom, também sem aviso, resolveu não voltar a ligar. O bife? Um pêlo da minha gata tinha entrado pelos respiradores e tinha lixado o disco. Tal como tu, pensei que os meus projectos estavam perdidos. Mas... assim como o MAC é igual aos Mercedes nas coisas más, também é igual nas coisas boas e, graças à sua resistência técnica (não há outras palavras), consegui salvar tudo o que precisava através de uma transposição da informação do meu disco para outro MAC. Por isso, não percas a esperança. O divino MAC há-de ganhar esta luta!

JP disse...

Parece-me que como causador da celeuma resta-me pedir desculpa da mesma ter começado…
Como já tive trabalho de recuperar Mac (velhinhos… OS 7,8 e 9) e PC´s tenho uma opinião formada…

Filipe disse...

Celeuma? Qual celeuma?