segunda-feira, julho 31, 2006

Frank Miller e THE SPIRIT

Em resposta às muitas vozes que aqui no Salvo Erro demonstraram preocupação por ser Frank Miller a adaptar THE SPIRIT para cinema (na verdade, foi apenas o No Pants Jimmy Jamma, mas deixem-me lá empolar a situação um bocadinho): concordo quando se diz que o sentido de humor de Miller não é dos mais brilhantes. E mais ainda quando o ALL STAR BATMAN & ROBIN é dado como prova de que o criador de SIN CITY anda em baixo de forma. Mas discordo completamente quando a pouca experiência de Miller no cinema é trazida à baila. Para além da ‘escola’, chamemos-lhe assim, que Miller tem tido, de certeza, ao trabalhar lado a lado com Robert Rodriguez, convém não esquecer que, de todos os artistas de comics, norte-americanos e não só, Miller é talvez aquele com uma linguagem mais cinematográfica, tanto a nível gráfico como de escrita. E depois, a quase-estreia de um realizador também não é sinónimo de obra menor – lembremo-nos de CITIZEN KANE, a primeira longa-metragem de Orson Welles, ou de HARD CANDY, chegada em grande de David Slade ao cinema, depois da curta-metragem DO GEESE SEE GOD?. Mais importante que tudo isso, não esqueçamos que poucos se podem gabar de conhecer tão bem a obra de Eisner como Frank Miller, que aliás teve oportunidade de privar com o grande mestre antes da morte deste, no ano passado. O encontro e debate de ideias está documentado neste volume que suponho fantástico (acabei de encomendá-lo), e que aliás venceu um Eisner na categoria Best Comics-Related Book.

Faltam 2 dias para o novo episódio d'O HORROR iNOMINÁVEL

domingo, julho 30, 2006

Porque hoje é domingo, e temos a Terceira Guerra Mundial a querer rebentar durante a Silly Season


Faltam 3 dias para o novo episódio d'O HORROR iNOMINÁVEL

Israel - Líbano: fotoon


Cliquem sobre a imagem para aumentar o tamanho do fotoon SALVO ERRO publicado dia 21 deste mês n'O INIMIGO PÚBLICO.

Fato domingueiro


THE SPIRIT de Will Eisner vai chegar aos cinemas. E um personagem deste calibre, criado por um dos maiores mitos dos comics - falecido o ano passado - não podia ficar entregue a um jeitoso qualquer. Felizmente vai ser Frank Miller a escrever e realizar, e, sabendo da importância que Will Eisner teve na vida e na obra de Frank Miller, não se podia querer melhor. Miller irá lançar mãos à obra assim que terminar SIN CITY 2, que está a fazer junto com Robert Rodriguez. Saibam mais aqui.

E a propósito de Will Eisner - já foram entregues os Eisner Awards deste ano.

Videocasts aos magotes? Ainda não, mas está-se no bom caminho.

A comprovar a profecia feita há tempos pelo Oráculo de Phileas, o número de video podcasts nacionais continua a aumentar. Agora foi a vez do Nuno Markl, que já tem três videos disponíveis em feed. Imperdível e a conservar - o chamado iPod non-deleter.


Entretanto, Acácio Jeremias, a.k.a. André Toscano, CEO do DQD, já colocou on line o segundo episódio do seu videocast, este dedicado à maravilhosa problemática dos telemóveis.

Urgências 2006 - última apresentação


Hoje às 17h00, no Teatro Maria Matos.

quinta-feira, julho 27, 2006

Música para partir coisas (e um video perturbador de Chris Cunningham)


De Michel Gondry para Chris Cunningham, outro dos meus realizadores favoritos: The Horrors foi a banda que Cunnigham escolheu do MySpace para realizar aquele que é o seu primeiro videoclip de há sete anos para cá. Talvez se recordem do trabalho de Cunnigham em videos de Aphex Twin ("Come to Daddy", "Windowlicker"), Portishead ("Only You"), Björk ("All is Full of Love"), Madonna ("Frozen") e Squarepusher ("Come On My Selector"), e do restyling que fez dos aliens de H.R. Giger para "Alien 3" (com o nome de Chris Halls) e "Alien Ressurection". "Sheena is a Parasite", assim se chama o tema dos Horrors, é música bem saudável, na medida em que dá uma vontade louca de pegar num bastão de baseball e partir tudo, coisa que - está provado cientificamente - faz muito bem à tensão arterial. O video não podia ser mais indicado, e conta com a participação de Samantha Morton. Saibam mais aqui.

terça-feira, julho 25, 2006

Children of Men


E já que referi E A TUA MÃE TAMBÉM, aproveito para vos dar o link para o trailer do novo filme de Alfonso Cuarón, CHILDREN OF MEN. E se todas as mulheres do planeta deixassem de poder engravidar? Os party-animals poderão pensar que isto até seriam boas novidades. Mas a longo prazo resultaria no fim da raça humana. Com Clive Owen, Julianne Moore e Michael Caine, num papel em que o fantástico look hippie não combina com o título de sir.

The Science of Sleep


Depois de ETERNAL SUNSHINE OF THE SPOTLESS MIND, eis que Michel Gondry regressa com uma nova longa-metragem. E que belíssimo aspecto tem o trailer. O tipo com as manápolas gigantes é Gabriel García Benal (AMOR CÃO, E A TUA MÃE TAMBÉM, DIÁRIOS DE CHE GUEVARA) que, pelas imagens que vi, me pareceu neste filme uma espécie de Johnny Depp latino-americano. Vejam o trailer aqui. E visitem Le Monde de Michel Gondry.

Hoje às 18h00,

no mmCafé, em Lisboa, relançamento do Prémio Maria Matos - Novas Dramaturgias Portuguesas. O vencedor será convidado a participar na próxima edição das Urgências.

domingo, julho 23, 2006

CUÍ,

a história que escrevi para o programa A HISTÓRIA DEVIDA, vai passar novamente na Antena 1, amanhã, segunda-feira, às 17h20, 21h40, e 01h20.

(visitem o blog aqui)

sábado, julho 22, 2006

O AVASSALADOR KIT SALVO ERRO DE ATAQUE INFORMÁTICO AO ABRUPTO!


Inspirado pelo ataque informático de que o blog de Pacheco Pereira foi alvo esta semana, decidi criar este KIT SALVO ERRO DE ATAQUE INFORMÁTICO AO ABRUPTO, para que todos vocês possam gozar da sensação de lançar uma ofensiva virtual ao blog mais visitado do país.

Este fantástico kit oferece uma miríade de soluções para o pirata informático em início de carreira, que vão desde o sofisticado Early Morning Aspirador de Blogs até à musculada motosserra.

Não percam mais tempo e lancem imediatamente os vossos ataques! Horas e horas de diversão garantida para a pequenada! Basta seguirem as instruções:

Ataque 1: EARLY MORNING ASPIRADOR DE BLOGS
Instruções: Este aparelho é o sonho do PSD feito máquina de sugar - um potente aspirador capaz de eliminar em minutos todas as palavras debitadas por Pacheco Pereira no Abrupto. Coloquem-se de joelhos, de maneira a terem de espreitar por cima da secretária para conseguirem ver o monitor, e poderão assim assistir a tudo do ponto de vista de Marques Mendes.
Cliquem aqui para proceder à limpeza.

Ataque 2: O MÉTODO ISRAELITA
Instruções: Façam pontaria aos longos e fastidiosos posts em que Pacheco Pereira reproduz os mails que lhe são enviados pelos leitores, e cliquem no rato para largar os vossos mísseis antibunker.
Cliquem aqui para iniciar as hostilidades.

Ataque 3: NÃO SERVE DE NADA SER AUTOR DA BIOGRAFIA DE ÁLVARO CUNHAL DURANTE UMA INVASÃO EXTRATERRESTRE
Instruções: Mercê dos inúmeros posts que Pacheco Pereira escreve acerca das mais recentes descobertas astronómicas, o Abrupto também tem bastantes leitores noutros sistemas solares. A prová-lo está esta esquadra de OVNIs oriunda de Cassiopeia, que só está à espera de um clique vosso para levantar voo à velocidade da luz e dizimar o Abrupto como se de um planeta primitivo se tratasse.
Convoquem os alienígenas clicando aqui.

Ataque 4: AI MAS MESMO ASSIM AINDA GOSTA DO ESPAÇO SIDERAL? ENTÃO TOME LÁ UM METEORITO, A VER SE TAMBÉM SE FICA A RIR
Instruções: Utilizem o rato para lançar uma devastadora chuva de meteoros sobre aquela imagem irritante que Pacheco Pereira colocou por cima da citação de Sá de Miranda.
Cliquem aqui para fazer chover calhaus do céu.

Ataque 5: ABRUPTO CHAINSAW MASSACRE
Instruções: Para aqueles que adoram ouvir o doce zunido de uma motossera pela manhã, é melhor que procurem outra coisa, que esta avançada motossera virtual vem equipada com silenciador. Com alguma prática do manejo do rato - que controla a motossera - é possível que se consiga inclusive esfrangalhar por completo aquele texto em que Pacheco Pereira discorre acerca de os apontamentos de Nietzsche, Kafka, Camus, etc., serem uma espécie de protoblogs. Mas não prometo nada.
Cliquem aqui para puxar aquele cordelinho que põe a motossera a fazer aquilo que faz melhor.

Ataque 6: SHÔR PACHECO, SHÔR PACHECO, ALGUÉM ANDOU A GRAFFITAR AQUELE QUADRO DO DOMINGUEZ ALVAREZ QUE O SHÔR PACHECO TINHA PENDURADO NO BLOG
Instruções: Utilizem o rato para movimentar a lata de tinta, escolham entre as três cores disponíveis (encarnado, verde e azul), e desatem a pintar um mural do PCTP-MRPP no Abrupto. Arte ou vandalismo? Seja o que for, é uma barrigada de riso, cortesia do impressionante KIT DE ATAQUE INFORMÁTICO AO ABRUPTO!
Cliquem aqui para fazerem-no à la Mark Ecko.

Ataque 7: RETRATOS DO TRABALHO DE UM CANALIZADOR UCRANIANO QUE REBENTOU PROPOSITADAMENTE UM CANO NO ABRUPTO PORQUE NÃO CONCORDA COM A ANÁLISE QUE PACHECO FEZ DA OBRA DE ILYA GRIGORYEVICH EHRENBURG
Instruções: Recostem-se e apreciem a visão do Abrupto a ser inundado como se não houvesse amanhã.
(Este ataque tem a vantagem de também poder ser utilizado por todos aqueles que sonham com a possibilidade de lerem o Abrupto ao mesmo tempo que visitam o Oceanário. E tantos que são.)
Cliquem aqui para rebentar o cano.

Ataque 8: BARBA E CABELO
Instruções: Não tem o aparato da motossera, mas a verdade é que a máquina-de-barbear incluída neste inacreditavelmente magnífico kit é uma arma muitíssimo mais eficaz. Com o auxílio do rato, rapem o Abrupto até não restar um pelito que seja.
Cliquem aqui para iniciar o desbaste.

Ataque 9: TOMATATTACK
Instruções: Façam pontaria com o cursor e atirem tomates contra os posts mais recentes de Pacheco Pereira. Se vaiarem enquanto arremessam os vegetais tornam o efeito ainda mais credível.
Cliquem aqui e comecem a fazer "buuu-buuu".

Ataque 10: COW PARADE NO ABRUPTO
Instruções: Basta utilizar o cursor para indicar o lugar certo - a vaquinha está bem ensinada e faz o resto.
Cliquem aqui para soltar a vaca.

Não percam mais tempo e iniciem já as vossas ofensivas! O AVASSALADOR KIT SALVO ERRO DE ATAQUE INFORMÁTICO AO ABRUPTO é a melhor coisa para se fazer na Internet, logo a seguir a ver pornografia!


(Munição: Netdisaster)

--------------------------------------------

(Update - 23/7, 21:43) O link para accionar o ataque 7 já está a funcionar.

sexta-feira, julho 21, 2006

John Stewart fala sobre a Net Neutrality


Depois de John Stewart ter falado acerca da Net Neutrality no DAILY SHOW (portanto, a Internet é assim uns tubos), esta quarta-feira foi o especialista John Hodgam a lançar alguma luz sobre o assunto com o auxílio de envelopes. Talvez reconheçam Hodgman como sendo o PC dos videos promocionais da Apple.

Já circula outra imagem promocional de SPIDER-MAN 3



Outra porque já circulava esta.
Estreia a 4 de Maio de 2007.

(se ainda não viram o trailer, cliquem aqui)

Parabéns, Monsenhor

O Nuno Markl colocou no seu blog um video a propósito do World Jump Day. Muito bom!



E quem é este tipo de barbas? Hilariante!

Mais importante ainda, o Monsenhor comemora hoje o seu 35.º aniversário. Quem o conhece sabe que esta noite ele vai apanhar uma carraspana de caixão à cova, como é seu costume em dias de festa rija e nos outros. Por isso, se alguém por acaso der com ele algures pela naite, carregado de speeds e a querer dar porrada aos seguranças das discotecas, envie-me um mail a avisar, que eu depois mando um táxi ir lá buscá-lo. Então fica assim combinado.

quarta-feira, julho 19, 2006

World Jump Day


A solução para os graves problemas climatéricos que o planeta Terra enfrenta: amanhã, às 11 horas, 39 minutos e 13 segundos, PULEM!

(de que é que eu estou a falar? saibam tudo aqui)

Salvo erro, sexta-feira no IP



(esta imagem é apenas um pormenor do que sairá depois de amanhã n'O INIMIGO PÚBLICO)

terça-feira, julho 18, 2006

Andrew Baron speaks his mind

Em casos como o da turbulenta saída de Amanda Congdon do Rocketboom, convém ouvir as duas versões. Deixemos de lado por instantes o facto de Amanda ser uma carismática sex-bomb-dos-geeks-e-não-só, e Andrew ser apenas um geeek empreendedor, e ouçamos a sua versão dos acontecimentos aqui. Entretanto, os fãs parecem estar a tratar todo este assunto com imparcialidade, não se preocupando tanto em saber quem fala a verdade, mas sim com o futuro quer de Amanda (que agora anda a postar videos de si própria a dançar com o pai durante um casamento??!), quer do Rocketboom sem ela. A versão 2 com Joanne Colan soma e segue, se bem que hoje não tenha havido episódio. Problemas? Também a Amanda interessa que o RB corra pelo melhor: afinal, ela ainda é detentora de 49% do negócio.

-----------------------------------------------

(Update - 18:57) Aí está finalmente o RB de hoje. Space Invaders e Pong em stop-motion. E um velho gimmick a ser deitado fora - adeus, clicker. Baron, via Joanne, pede sugestões para o programa.

segunda-feira, julho 17, 2006

Sobre OS SOPRANOS

O mês passado respondi a um convite da revista SABER VIVER para tentar explicar o sucesso de diversas séries televisivas, como por exemplo OS SOPRANOS. Depois de ver o episódio de hoje, e sabendo o rumo que esta 6ª temporada vai tomar, estou ainda mais seguro do que disse na altura:

"OS SOPRANOS (de longe, na minha opinião, a melhor série de todas nesta lista) [as outras séries analisadas eram DONAS DE CASA DESESPERADAS, LOST, CSI, 24, O SEXO E A CIDADE], também joga com essa aproximação à fonte da violência ["também" porque vinha de falar de CSI]. Os mafiosos na sua intimidade. As duas principais razões para o sucesso desta série são os excepcionais argumentos de David Chase, Terence Winter [foi quem escreveu o episódio exibido hoje], Matthew Weiner, Dine Frolov e Andrew Schneider (o primeiro e os dois últimos são também responsáveis pelos guiões de alguns episódios de outra excelente série, NORTHERN EXPOSURE), e a excelente prestação de actores como James Gandolfini, Edie Falco, Michael Imperioli, Lorraine Bracco e Joe Pantoliano, só para mencionar alguns. Duas coisas que definem um personagem são aquilo que ele é e aquilo que ele quer que os outros pensem que ele é. São dois modelos de comportamento diferentes, que apresentam hipóteses de conflito. Quando o protagonista é um mafioso que, ao mesmo tempo que trata dos seus 'negócios', tenta manter uma vida familiar normal, em que tem de enfrentar os problemas com que o comum dos mortais se debate no dia-a-dia, esres dois modelos estão, logo à partida, em guerra aberta. Mais do que anti-heróis, estamos na presença de vilões re-inventados, que apresentam um lado humano, um lado igual a todos nós, que permite, fruto da identificação do espectador com os personagens, aliviar a culpa do espectador, quando percebe que existem pessoas iguais a ele próprio, capazes de fazer coisas piores do que ele seria capaz, mas que são, ainda assim, capazes de gestos nobres, mesmo que dentro de uma lógica retorcida.
Os vilões sempre foram mais fascinantes que os heróis, e os vilões profundamente humanos ainda mais."

Em relação à qualidade dos guiões: há algum tempo atrás, antes da estreia desta 6ª temporada nos EUA, Steven Schirripa, o Bobby Bacala d'OS SOPRANOS, foi ao LATE NIGHT WITH CONAN O'BRIEN para promover um dos seus livros. Conan perguntou-lhe o porquê da 6º temporada estar a demorar tanto tempo para estar pronta. Isto foi o que Schirripa lhe respondeu:



Ah, o tempo. Para escrever, voltar atrás, rescrever, ter dúvidas, pôr em causa, do princípio, sobre o fim, do que passa entretanto. Tempo para escrever, com a calma que é necessária.

Sendo argumentista em Portugal, onde é tudo para ontem, pergunto: de que raio é que o 'Bacala' está a falar?

-------------------------------------------------------------------

(Correcção - 11:55, 18/7) Como sou uma valente besta, estava a chamar Vincent Pastore ao Steven Schirripa. Ainda bem que me chamaram a atenção, senão corria o risco de fazer ainda mais figura de urso. Obrigado, LF.

Apollo-Soyuz / STS-121 Discovery





Há 31 anos, a cópula sideral entre os EUA e a URSS.









Hoje: regresso.

The Sopranos



6ª temporada estreia hoje na 2:

domingo, julho 16, 2006

All this and brains too


Sigur Rós

Para quem, tal como eu, não pôde ir hoje ao Pavilhão Atlântico assistir ao concerto dos Sigur Rós, aqui fica o link para os videos disponíveis no site oficial. Lá encontram a actuação dos islandeses na capital Reykjavík, em Novembro do ano passado. Sempre dá para matar um pouco da sede.

sábado, julho 15, 2006

Umbigo #17


Na edição deste mês da Umbigo, um artigo sobre Trevor Brown, de Pedro Soenen. Destaque ainda para o artigo da Bárbara Valentina e Elsa Garcia, Mata a puta que ela "ainda" usa pó de arroz, sobre os serial killers no cinema, e o design e ilustração de Bruno Canas no artigo de Ana Pinto da Costa, Absinto - A Odisseia da Fada Verde.

Estilos de vida alternativos e outros objectos de borracha







Hoje, no stand 204 do II Salão Internacional Erótico de Lisboa, a primeira apresentação pública da revista Dominium. Saibam mais aqui.

A culpa não é biodegradável

Enquanto ouvia o vidro a ser despejado para dentro do camião do lixo, sentiu-se culpado por não ter ido deitar as garrafas ao vidrão.

sexta-feira, julho 14, 2006

Não foi Amanda que perdeu o Rocketboom, foi o Rocketboom que perdeu Amanda.















Amanda Congdon deixou o Rocketboom, programa diário online de que já vos tinha falado aqui. A sua saída causou um terramoto que foi sentido para além da web, até chegar aos chamados mainstream media. Ouçam aqui a sua versão dos acontecimentos, numa entrevista exclusiva à MSNBC. E este video, que postou no seu blog, Amanda UnBoomed, doze dias depois da sua saída (é irónico que o último Rocketboom que escreveu e apresentou tenha sido aquele a alertar para a ameaça que paira sobre a Net Neutrality).

A anfitriã de RB é agora Joanne Colan (assistam aqui à sua estreia), e só o futuro poderá dizer se há Rocketboom para além de Amanda Congdon. É que se Amanda, para além de jeitosa, é uma verdadeira entusiasta e conhecedora do ciberespaço (uma verdadeira gurua nética), o mesmo não se pode dizer de Joanne, que também tem a sua graça, pois que tem, mas não sabe distinguir um feed de um bidé. E claro que não são apenas as suas net experties que fazem Amanda especial: mesmo com aquela voz que, de quando em vez, se aproxima perigosamente da cana rachada, é inegável o carisma que ela tem. Há quem nasça para aparecer no cinema, há quem venha ao mundo para aparecer na TV - Amanda nasceu para aparecer na palma da mão de cada um de nós (vá lá, vocês perceberam que me estou a referir aos iPods e PSPs, não vão por aí).

Para ajudar Joanne a passar esta difícil fase de transição, o Rocketboom de hoje conta com convidados muito especiais. A verificar aqui. Entretanto, o que vinha mesmo a calhar era que Amanda começasse outro videocast. Aliás, parece que para a semana já vai haver novidades.

-----------------------------------------------------------

(Update - 15/07. 02:38) A propósito, sabiam que Amanda fez um cameo no CSI?

Cartazes da Paraíso Filmes

Eu sabia que tinha estes cartazes algures num qualquer cd perdido nos refegos da minha casa. E aqui estão eles, todos os 17 cartazes que o Cesário Monteiro fez, a partir de ideias nossas mas também com grande dose de input criativo da parte dele, para as películas cinematográficas parodiadas na PARAÍSO FILMES. Se bem me lembro, nos outros episódios não havia cartazes, pelo que é bastante provável que esta seja a colecção completa.



















(Actualizado - 14/07, 22:31)

quinta-feira, julho 13, 2006

PARAÍSO FILMES no YouTube

É por esta e por outras que adoro o YouTube: mil obrigados aos utilizadores que colocaram on line alguns episódios da PARAÍSO FILMES. Foram duas temporadas de 13 episódios cada uma, a primeira delas escrita por mim, pelo Nuno Markl, o Eduardo Madeira e o Henrique Dias, e a segunda por mim e pelo Markl, já lá vão uns bons cinco aninhos.


Nos principais papéis tínhamos o António Feio (Túlio Gonzaga / Norberto Frias) e o José Pedro Gomes (Belchior Baptista / Celso Matias), com quem eu e o Eduardo já tínhamos trabalhado na CONVERSA DA TRETA. Do elenco contavam também nomes como Dinarte Branco, Marco Horácio, Carla Salgueiro, Nuno Lopes, Manuel Marques, Carlos Curto, e Miguel Melo. A série foi realizada por Carlos Barreto, com quem eu partiria um ano mais tarde rumo à Amazónia profunda, para as filmagens do documentário CURIUA-CATU, junto com o Paulo Rosa, câmara da Paraíso.

Para além do genérico inicial, realizado pelo João Maia, com música de Manuel Faria e voz off do Nuno Markl, estão também disponíveis episódios inteiros, divididos em três partes:

Shôr Aníbal, um dos episódios que escrevi a meias com o Markl, é uma versão de HANNIBAL com elementos de SILÊNCIO DOS INOCENTES e PSYCHO. Foi um dos que mais gozo me deu, pela presença de elementos gore e ambiente próprio de um slasher-movie (a cena do chuveiro que é, ao mesmo tempo, um spot de publicidade à Banheira 2000, é um troféu que não sairá da nossa estante). É também o único episódio da série que aborda o fino tema do canibalismo. Na altura, lembro-me do orgulhosos que ficámos com o resultado da cena em que a agente Clarícia (Carla Salgueiro) fala com o shôr Aníbal (José Pedro Gomes), numa prisão que é um misto de cela de alta segurança e peep-show.

Parque Inácio (Inaice Park), episódio que calhou ter escrito sozinho, foi o primeiro da segunda temporada, e marcou a estreia na série de Nuno Lopes – ainda antes da consagração além-mar e no ALICE de Marco Martins – no papel de Sabino Pascoal, o Sandokan de Setúbal. É pena que a versão que está on line não inclua o pós-genérico, que, em jeito de making of dentro do making of fictício que PARAÍSO FILMES pretendia ser, mostrava a equipa de rodagem a fugir de um dinossauro ridículo (ou a persegui-lo, já não me lembro bem).

Ainda não tive tempo de pesquisar o YouTube convenientemente, de forma a perceber tudo o que lá está disponível da Paraíso. Mas já encontrei outros episódios on line, como Os Salteadores da Arca Frigorífica, o Agente L123, ou o primeiro, Febre de Domingo à Noite, cujas novas letras que escrevemos para as versões que o Gimba fez dos míticos temas Staying Alive e Night Fever ainda hoje sei de cor. Como o Markl já disse aqui, 'façam as vossas buscas no You Tube por "Paraiso Filmes", sem acento no i, e por "Paraíso Filmes", com o acento, porque de uma maneira aparecem umas coisas e da outra aparecem outras.'

Não me cabe dizer o que há de especial em PARAÍSO FILMES, mas senpre que alguém me pergunta “quando é que a Paraíso sai em DVD?”, cada vez que percebo que existem bastantes fãs da série (e isto apesar do fiasco de audiências, o que não é de estranhar, visto que a certa altura o programa foi atirado para as tantas da manhã), fico com a ideia que, de certa forma, cumprimos a nossa missão de fazer algo diferente de tudo o mais a que até ali se tinha assistido na televisão portuguesa. E, à medida que se torna mais evidente que, pelo menos no futuro próximo, não haverá numa grelha generalista espaço para este tipo de séries, fico com mais e mais saudades dos tempos em que estávamos a trabalhar na PARAÍSO FILMES e na empresa irmã, a Banheira 2000.

(Actualizado - 14/07, 22:23)

Satélite iPod?


Urgências em livro














Os textos de 2004 e 2006.
Lançamento hoje às 18h no MM Café.

domingo, julho 09, 2006

À cabeçada.

Assim acabou o Mundial.

Pois, os japoneses, essa malta pouco Zen


Lady Snowblood

Foi a LADY SNOWBLOOD, história de uma assassina contratada, que Quentin Tarantino buscou inspiração para a personagem interpretada por Lucy Liu em KILL BILL. A narrativa poética, as referências históricas, e o tom violento e erótico a que Kazuo Koike nos habituou em obras magistrais como SAMUARAI EXECUTIONER E LONE WOLF AND CUB continua bem presente em Snowblood. Neste manga, editado pela primeira vez no Japão em 1972, Kazuo Koike trabalhou não com o seu parceiro de longa data Goseki Kojima (falecido em 2000), mas sim com Kazuo Kamimura. Se bem que prefira o estilo de Kojima, admito que o traço de Kamimura serve perfeitamente a história.

LADY SNOWBLOOD, que em 1973 foi adaptada ao cinema,* é, como KILL BILL, uma história de vingança. Uma mulher condenada a prisão perpétua faz-se engravidar para que a sua filha, uma vez no exterior, possa eliminar os responsáveis pela sua desgraça. LADY SNOWBLOOD, aliás, Shurayuki Hime, depois de vingar a sua mãe, continua a fazer aquilo para que foi criada – mais: aquilo para que foi concebida – matar. É uma assassina contratada, cujas missões têm grande relevância para o panorama politico do Japão dos finais do séc. XIX. Magníficas as inúmeras sequências de lutas de katana em que Shurayuki Hime surge nua, coberta pelo sangue dos seus oponentes, enquanto a neve cai. Lembram-se da luta no final do VOL.I entre Uma Thurman e Lucy Liu? É daqui que vem.

A Dark Horse, que tem vindo a publicar vários títulos japoneses sob o selo Dark Horse Manga, deixou finalmente de adaptar a banda desenhada japonesa aos hábitos de leitura ocidentais. Quando se transformam as páginas para que, em vez de serem lidas da direita para a esquerda, passem a sê-lo da esquerda para direita, há diversos efeitos secundários. O primeiro é a óbvia distorção da arte original. O que vemos não são as páginas com foram desenhadas, mas sim o seu simétrico, como num espelho. Outro efeito é que, de repente, todos os personagens passam a ser canhotos.

Mas com LADY SNOWBLOOD, publicado em Setembro de 2005, a Dark Horse finalmente começou a respeitar o formato original, assumindo todos os riscos que essa opção possa trazer a nível de aceitação no mercado. Sempre fui defensor dessa colagem ao formato original, e talvez por isso tenha começado a coleccionar VAGABOND, de Takehiko Inoue, publicado no Ocidente pela Viz Comics no sentido direita-esquerda desde 2002. Em Lady Snowblood, também as onomatopeias originais foram mantidas, decifradas em notas de rodapé, o que contribui para manter a arte original intacta.

Tive a sorte de conhecer o trabalho de Kazuo Koike ainda durante os anos 80, altura em que a Cedibra publicou no Brasil e em Portugal alguns números de LONE WOLF AND CUB, sob o título LOBO SOLITÁRIO. As capas eram (e são, nas edições da Dark Horse) desenhadas por Frank Miller (e, em números posteriores, por Bill Sienkiewicz e Matt Wagner), que claramente se inspirou na arte de Goseki Kojima quando estava a fazer DAREDEVIL, e quando desenhou a mini-série de WOLVERINE escrita por Chris Claremont. Se não conhecem estas obras do Mestre Kazuo Koike, eu diria que está mais do que na hora.

* Um ano mais tarde, saíu a sequela. Ambas estão disponíveis em DVD na Amazon.