sexta-feira, Outubro 24, 2014

O Outro Comentário do Professor Marcelo: portugueses desertores do ISIS, balda de Marinho Pinto no parlamento europeu, despedida de Durão Barroso, Renée Zellweger, e reunião do CDS para discutir o OE.

quinta-feira, Outubro 23, 2014

"A maioria das pessoas tem o mau hábito de trabalhar nos dias úteis."
A frase é de Ellery Queen. Mas podia ser de Marinho Pinto.

Discothèque























Eugenia Loli

Faltam 8 dias.


‪‎Outra Coisa‬: Passos Coelho reforça que o colapso do BES não tem impacto na economia.

Isto.

domingo, Outubro 19, 2014

Pois, é o Verão de São Martinho, e em Agosto foi o Inverno de Santo Agostinho, e todo o ano é o Derretimento das Calotas Polares de São Marsápio. Fiem-se na Virgem.

Perante a evidência do aquecimento global, pensa-se em praia. A raça humana faz por merecer a extinção.

sábado, Outubro 18, 2014

Mete mais alto #429


"I Want To Be Bad"
Zelma O'Neal
in Follow Thru (1930)

sexta-feira, Outubro 17, 2014

Não me interessam os eventuais plágios do secretário de Estado. Mais prejudicial é a sua obra original no governo.

"Mas não podes, querida, é uma barbearia só para homens.""

"Adeus, Portugal, foi bom enquanto durou. Quer dizer, não foi assim tão bom, mas teve os seus momentos. Com a bola e coiso." ‪#‎famouslastwords‬

A malta no FB gosta tanto de obituários que até me admira que, depois de mais este OE, ainda não tenha aparecido um R.I.P. Portugal, 1139 - 2014.

(Uma nota, só para prevenir que me venham para aqui tentar corrigir como já fizeram no FB: nasceu, em 1139, o Reino de Portugal e a sua primeira dinastia e Casa Real: os Borgonha. D. Afonso Henriques torna-se o rei Afonso I de Portugal. O reconhecimento da independência, esse sim, só foi feito por parte do Reino de Leão e Castela a 5 de Outubro de 1143. Mas a gente não anda aqui com o calendário espanhol.)

Troco dois ébolas por um orçamento rectificativo. #repost

Entre este governo e um penico de esmalte, eu escolho o penico de esmalte.

As vacas, as cagarras, os cavalos lusitanos. A bicharada é, toda ela, mais importante do que gente.

Shelley Fabares, 1965


Instrucciones para subir una escalera al revés

"En un lugar de la bibliografía del que no quiero acordarme, se explicó alguna vez que hay escaleras para subir y escaleras para bajar; lo que no se dijo entonces es que también puede haber escaleras para ir hacia atrás. Los usuarios de estos útiles artefactos comprenderán, sin excesivo esfuerzo, que cualquier escalera va hacia atrás si uno la sube de espaldas, pero lo que en esos casos está por verse es el resultado de tan insólito proceso. Hágase la prueba con cualquier escalera exterior. Vencido el primer sentimiento de incomodidad e incluso de vértigo, se descubrirá a cada peldaño un nuevo ámbito que, si bien forma parte del ámbito del peldaño precedente, al mismo tiempo lo corrige, lo critica y lo ensancha. Piénsese que muy poco antes, la última vez que se había trepado en la forma usual por esa escalera, el mundo de atrás quedaba abolido por la escalera misma, su hipnótica sucesión de peldaños; en cambio, bastará subirla de espaldas para que un horizonte limitado al comienzo por la tapia del jardín, salte ahora hasta el campito de los Peñaloza, abarque luego el molino de la Turca, estalle en los álamos del cementerio y, con un poco de suerte, llegue hasta el horizonte de verdad, el de la definición que nos enseñaba la señorita de tercer grado. ¿Y el cielo? ¿Y las nubes? Cuéntelas cuando esté en lo más alto, bébase el cielo que le cae en plena cara desde su inmenso embudo. A lo mejor después, cuando gire en redondo y entre en el piso alto de su casa, en su vida doméstica y diaria, comprenderá que también allí había que mirar muchas cosas en esa forma, que también en una boca, un amor, una novela, había que subir hacia atrás. Pero tenga cuidado, es fácil tropezar y caerse. Hay cosas que sólo se dejan ver mientras se sube hacia atrás y otras que no quieren, que tienen miedo de ese ascenso que las obliga a desnudarse tanto; obstinadas en su nivel y en su máscara se vengan cruelmente del que sube de espaldas para ver lo otro, el campito de los Peñaloza o los álamos del cementerio. Cuidado con esa silla; cuidado con esa mujer."

Julio Cortázar

Foi há 10 anos.

quinta-feira, Outubro 16, 2014

Insultar funcionários do Fisco dá pena de prisão

Não haverá espaço nos estabelecimentos prisionais para albergar tanto espoliado.

Amanhã na ‪Outra Coisa‬, mais cultura: Manuela Ferreira Leite traz sugestões literárias e cinematográficas a propósito do Halloween que se aproxima.

Agora também estou muito revoltado com esta corrida exclusiva para mulheres. Que discriminação infâme.

A minha questão é outra: porque é que eu haveria de querer estar num sítio onde só podem entrar homens? Que. Seca.

Se o dono da barbearia tem medo de pipis, deixem-no ter medo de pipis. Não discriminem. Assim como há mulheres com medo de pilas, também há homens com medo de pipis. Não às cruzadas contra homens que têm medo de pipis. Abracem a diferença, sejam tolerantes. Resistam ao César das Neves em vós.

Se o facto de haver estabelecimentos só para homens vos incomoda, acabem também com isso da "girls night out". Olhem que isso é sexista.

Nisto da polémica da barbearia, o que me incomoda é a placa do "Cães sim, mulheres não". Aí já estamos a falar de uma tremenda falta de gosto, noção, tudo. Essa placa não só impede as mulheres de entrarem naquela barbearia, como também afasta de lá qualquer homem que se preze.

Porque é que as feministas (aquelas que nem deviam usar essa denominação, porque dão mau nome à coisa) estão tão irritadas com a existência de barbearias só para homens, se nem sequer os pêlos das axilas depilam?

Agora é a polémica das barbearias só para homens. Porque o argumento do "estar à-vontade" é válido quando se trata de ginásios só para mulheres, mas parece que de nada vale quando a situação mete pilas. Pelos vistos, o discurso da Emma Watson caíu em saco roto. Isto está de tal maneira que qualquer dia vão querer censurar as revistas da Luluzinha.

Jorge Jesus, crítico literário, comenta a crónica de ontem de César das Neves. .

quarta-feira, Outubro 15, 2014

Número 1 mais uma vez. Obrigado a todos os que fazem com que assim seja. Sois magnânimos, pintalgais sucessivos sorrisos na fronha desta equipa!

Peguei no DN e amputei a página da crónica do César das Neves para forrar a gaiola do hamster.

Eu percebo a metáfora do João César das Neves. Comparar divórcio e amputação faz sentido, quando o cônjuge é a própria mão. Fap, fap, fap.

terça-feira, Outubro 14, 2014

segunda-feira, Outubro 13, 2014

A quantos quilómetros é que o Cristiano Ronaldo está do Prós e Contras?

O Marco António Costa do PSD passou ao lado de uma grande carreira a dobrar a voz do Cocas.

Va, tudo a denunciar malta que foge ao fisco, que é para em 2016 se ter o reembolso da sobretaxa do IRS. #EoPortasFicaSe?

Dedicado a uma Lisboa que se vê submersa

(click para aumentar)

Troco dois ébolas por um Orçamento Rectificativo.

Última hora:

O Borda d'Água vai passar a trazer informação sobre as marés na Baixa de Lisboa.

Mete mais alto #428


Radio Moscow
Brain Cycles
2009

Estava difícil apanhar um táxi no Rossio.

Vim aqui à Rua das Portas de Santo Antão, comprar bilhetes para o concerto do Mickael Carreira no Coliseu.

Descoberto o verdadeiro motivo para a demorada reunião do Conselho de Ministros.

Não teve nada a ver com o Orçamento. A coligação encontrou-se para realizar uma dança da chuva, no sentido de contrapôr uma Lisboa submersa à onda de António Costa para as próximas legislativas.

Muita gente a passear aqui pela Baixa de Lisboa.

Não é o FB que embrutece as pessoas, são as pessoas que embrutecem o FB.